Novos tempos, reinvente-se, não viva a miopia das plataformas digitais

Vivemos novos tempos, como todos sabemos, o mundo mudou do dia para a noite, e fomos pegos literalmente com as “calças na mão”, deixamos casacos nas cadeiras, e fomos para casa. Fazem pelo menos 70 dias, e praticamente nada mudou.

A Reabertura do comércio, shoppings, restaurantes e até das nossas imobiliárias e administradoras, não fez com que a gente achasse que a vida voltou ao normal, simplesmente porque não são as máscaras ou o distanciamento que estão no centro deste sentimento, e sim, um novo mundo, dentro de um “novo normal”, que está se apresentando para nós e nossos negócios.

Como podemos observar, apesar de abertos, tais estabelecimentos não são mais e não representam mais o que eram há 70 dias, incrível isto? Não acredito em apocalipse, em coisas inacreditáveis. Sim, o vírus veio sem esperarmos, mas o que está acontecendo já não era previsível em termos de evolução e digitalização do mercado? Não aconteceria de qualquer maneira, mais cedo ou mais tarde?

Se você não se preparou, está mais do que na hora. Na Sami, estamos falando em transformação digital há pelo menos 2 anos de forma intensa, incansável, de todas as formas que poderíamos ter e temos de comunicação com nosso cliente e com o mercado.

Mas o mundo mudou sem avisar, deixamos nossos casacos na cadeira, como disse, e estamos em casa, numa quarentena quase sem fim, e o mercado lá fora já mudou.

E agora?

Transforme ameaças em oportunidades, reinvente-se

Uma frase que se tornou nosso slogan em eventos, palestras e encontros é “TRANSFORME AMEAÇAS EM OPORTUNIDADES”, inclusive foi nossa chamada no SECOVI IMOBI SUMMIT, evento que participamos em meados de 2019, numa parceria com a PORTO SEGURO, em Florianópolis. Ou seja, bem antes da pandemia, já falávamos sobre a transformação digital, seguros online, banco digital, e a transformação de ameaças em oportunidades.

E é exatamente isto que precisamos pôr em prática, observar as tendências e mudanças do mercado e agir, não só colocar nosso time em home office, mas entender as novas demandas do mercado, e reinventar nosso negócio.

É fácil? Não.

Você acha que algum blog, algum conteúdo ou matéria mirabolante trarão fórmulas mágicas? Desconheço.

Acredito em trabalho, dedicação, observação sagaz do que acontece lá fora, e calcular e acertar em projeções e tendências focadas no seu mercado, na sua cidade, no seu perfil de produto, seja imóvel, seja administração de condomínios. Quem é seu cliente, o que ele precisa hoje que não precisava antes, e assim por diante.

Dentro deste cenário, penso que uma grande dica, entre muitas possíveis, é bem importante:

Não entre na miopia das plataformas digitais

O ser digital não quer dizer, de forma alguma, se transformar em uma plataforma digital. Não adianta você querer, hoje, que sua administradora se transforme numa QUINTO ANDAR, ou algo semelhante.

Você não é isto, não era antes da pandemia e da crise, e não sairá disto desta forma, nem será isto depois de tudo passar, e voltarmos ao “novo normal” definitivo.

As plataformas digitais, marketplaces, e-commerces e semelhantes, não são o que sua empresa precisa se transformar. Uma empresa que nasce plataforma digital, ela intermedia, de forma eletrônica, e em grande escala, quase sempre nacional ou mundial, a necessidade de um com o produto ou serviço de outro, sendo o elo integrador das duas vontades. O seu negócio, apesar de ter este conceito de serviço, de entrega entre proprietários, locatários ou condôminos e síndicos, não se fundamenta no princípio da plataforma digital.

Seu negócio nasceu em um bairro, em uma cidade, não tem escala para viver da intermediação digital, então, o próprio conceito em si já cai por terra. Você nunca será uma plataforma digital de negócios imobiliários em escala mundial, talvez nem nacional, a não ser que eu me engane muito, concorda?

Então pense seu negócio, ali na esquina do bairro, que conhece as pessoas e sempre tratou presencialmente com elas, mas que precisa ser digital “também”.

Por aí seguimos um raciocínio coerente e poderemos ter em mente o que queremos entregar.

No meu conceito, entregue serviços digitais, boletos, extratos, reservas de áreas, registro de ocorrências, demonstrativos, portarias online, assembleias online, seja o que for, faça com que seu cliente se sinta em casa, literalmente em casa, usufruindo dos seus serviços digitais, ainda mais em tempos de pandemia, mas NÃO PERCA IDENTIDADE, você não é uma plataforma digital, lembre-se sempre disto.

Seu negócio continua no bairro, segue na esquina, e você terá de se reinventar.

Use rotinas e procedimentos digitais, processos como automação da cobrança bancária, retornos, créditos e repasses robóticos. Venda seguros, contrate online por dentro do seu ERP, maximize o potencial do seu time com processos realmente digitais na gestão do seu negócio.

Ser digital não é só o que você entrega ao seu cliente, e sim, como você faz a gestão do seu negócio.

A nova competitividade virá do quanto você se digitalizou, dentro na gestão, e fora para seu cliente. É a soma destas duas ações.

Mas você continua no bairro, você não é uma plataforma digital, lembre-se sempre disto.

Enfim, para concluir, e sem “5 dicas para seu sucesso” ou “Faça isto e você vencerá”, fique atento ao fato de que, realmente, o mundo não será mais o mesmo, já não o é, e você está no meio de um momento de grande transformação mundial, que se abre para novas oportunidades, desde que você saiba encontrá-las.

Boa sorte, e saúde para todos nós e nossas famílias.

Compartilhar

QUER RECEBER AS ÚLTIMAS NOVIDADES PARA O MERCADO IMOBILIÁRIO? INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER