Afinal, o que é Dimob e por que devo me preocupar com ele?

Se você tem ou trabalha em uma imobiliária, já deve ter ouvido falar sobre a Declaração de Informações Sobre Atividades Imobiliárias (Dimob). Ainda assim, com tanta papelada e documentação exigida pelos órgãos públicos, é comum que sobrem algumas dúvidas sobre o assunto.

Para saná-las, preparamos este post. A seguir, explicaremos tudo sobre a Dimob. Confira!

O que é Dimob?

A Dimob é um documento que passou a ser exigido em 2003 pela Receita Federal. O órgão utiliza as informações da declaração para cruzá-las com os dados de contribuintes que participaram de transações comerciais imobiliárias. Ela deve ser entregue anualmente, em todo mês de fevereiro.

Entre as transações, estão incluídas:

  • compra;
  • venda;
  • locação; e
  • sublocação.

Quem deve entregar a declaração?

A Dimob é obrigatória para pessoas jurídicas e equiparadas que:

  • comercializaram imóveis construídos, loteados ou incorporados para esse fim;
  • intermediaram compra, alienação ou aluguel de imóveis;
  • sublocaram imóveis;
  • construíram, administraram, locaram ou alienaram do patrimônio próprio, de seus condôminos ou sócios.

A entrega é obrigatória até o último dia útil de fevereiro subsequente ao ano da negociação.

Como preencher a Dimob?

O preenchimento da Dimob deve estar correto para que a Receita Federal não rejeite a declaração. Para evitar incômodos, fique atento às regras que podem causar prejuízo caso sejam infringidas.

Tenha a certeza de que não foram utilizados caracteres especiais ou números nos campos de nome do locatário, endereço ou nome do locador. Também é importante checar se os números de CNPJ e CPF estão corretos.

Atenção redobrada na hora de indicar o CEP do imóvel, o valor da propriedade e as datas corretas de contrato, já que todas essas informações serão cruzadas e averiguadas.

Não se esqueça de que a Dimob deve ser preenchida de acordo com as notas fiscais da empresa, ou seja, os dados não podem conflitar.

Como entregar a Dimob?

A entrega da Dimob deve ser feita por meio do programa Receitanet, disponível no site da Receita Federal. O processo é on-line e deve ser feito até as 23h59 do dia final do prazo. No entanto, é importante se antecipar para não sofrer as consequências de um sistema sobrecarregado.

O que acontece se eu perder o prazo?

São várias as penalidades aplicadas às imobiliárias que perderem o prazo de entrega da Dimob, mas a principal é cair na malha fina da Receita Federal.

Se a declaração não for entregue na data estabelecida ou se houver erros e omissões, a imobiliária será intimada para esclarecer as discrepâncias na Secretaria da Receita Federal e poderão ser aplicadas multas. Fique atento às penalidades.

No caso de declaração entregue fora do prazo

R$ 500,00 por mês-calendário ou fração:

  • PJ em início de atividade;
  • Lucro Presumido;
  • Simples Nacional.

Às demais empresas, a multa é de R$ 1,5 mil.

No caso de informações erradas ou omitidas

  • 3% do valor das transações ou operações financeiras próprias da pessoa jurídica ou de terceiros no caso de informação omitida, inexata ou incompleta. Essa porcentagem terá valor mínimo de R$ 100,00.

A entrega e o preenchimento da Dimob são processos simples, mas que exigem muita atenção por parte da empresa. Existem muitos softwares especializados em processos imobiliários que colaboram com a entrega correta da declaração.

Agora que você tirou suas dúvidas sobre o que é a Dimob, confira o nosso post sobre os motivos para contar com um sistema ERP para sua imobiliária e facilite a vida do gestor da sua empresa!

Compartilhar

QUER RECEBER AS ÚLTIMAS NOVIDADES PARA O MERCADO IMOBILIÁRIO? INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here