Saiba os modelos de garantia de locação que a imobiliária pode oferecer

Talvez o ponto mais crítico da locação imobiliária seja a garantia locatícia. De que forma o locador pode sentir-se seguro no caso de inadimplência do locatário?

A Lei do Inquilinato apresenta algumas opções nesse quesito. Saber qual a mais adequada vai depender tanto das pretensões do proprietário do imóvel quanto da disponibilidade do inquilino. Conheça, neste post, quais as garantias de locação disponíveis e quais os benefícios de cada uma delas!

Fiador

Trata-se da forma mais tradicional de garantia de locação, na qual o locatário apresenta ao locador uma terceira pessoa em condições de arcar com as despesas do aluguel, no caso de inadimplência.

Os requisitos para alguém ser aceito como fiador podem variar. O mais comum, porém, é que o candidato tenha renda três vezes superior ao aluguel e seja proprietário de, pelo menos, um imóvel localizado na mesma cidade onde ocorre a locação. Também é comum que as imobiliárias e proprietários exijam pelo menos dois fiadores para aceitar a locação.

O principal benefício dessa modalidade de garantia é que ela não exige nenhum gasto extra por parte do locatário. Por outro lado, nem sempre é fácil arregimentar pessoas com disponibilidade para ser fiador de seu aluguel.

O fato de as imobiliárias exigirem uma série de documentos dos fiadores (incluindo comprovantes de renda e declarações do IR) dificulta ainda mais o uso desta alternativa.

Caução

Nessa modalidade, o candidato a inquilino deposita um valor que servirá de garantia para a eventualidade de uma inadimplência. Em geral, é exigido o triplo do valor do aluguel. A Lei do Inquilinato prevê, ainda, que a caução poderá ser por meio de bens móveis e imóveis.

Alguns proprietários consideram o valor da caução baixo, pois as ações de despejo costumam demorar mais do que os três meses garantidos. E também não é muito comum a aceitação de bens como caução.

Já para os inquilinos, o valor é considerado alto, mesmo que, ao final do contrato, se não for utilizado, ele receba o valor de volta, corrigido pelo rendimento da caderneta de poupança.

Seguro-fiança

Alternativa que vem se popularizando nos últimos anos. Trata-se de um seguro contratado pelo inquilino, que tem o proprietário do imóvel como beneficiário. Por meio da apólice é que ocorre o ressarcimento em caso de inadimplência.

O valor do seguro-fiança varia de acordo com a cobertura exigida pelo locador. Esta pode ser apenas o valor do aluguel ou incluir outras despesas, como taxa de condomínio, IPTU etc. Trata-se da forma de garantia em que o ressarcimento ocorre de forma mais rápida.

É uma boa alternativa ao inquilino que não tem fiador e não dispõe de capital ou bens para apresentar como caução. O valor do seguro gira em torno de duas vezes o aluguel. Como a validade do seguro prolonga-se pelo prazo do contrato de aluguel, as seguradoras costumam parcelar o pagamento pelo mesmo período, aliviando o bolso do inquilino.

Fundo de investimento

Nem tão popular, essa modalidade prevê que o locatário realize uma aplicação financeira específica, que é apresentada como garantia ao locador. Caso o inquilino não pague pelo aluguel, o rendimento da aplicação é automaticamente transferido ao proprietário do imóvel.

Título de capitalização

Trata-se de um título de capitalização comum que deve ser contratado pelo inquilino. No caso de inadimplência, o proprietário pode resgatar os valores capitalizados até o limite da dívida.

Caso não seja necessário o saque para cobrir o aluguel, ao final do contrato o locatário resgata 100% do capital aplicado, como em qualquer título de capitalização.

Estas são as garantias de locação que podem ser oferecidas a proprietários e inquilinos para agilizar os contratos de locação. Você ficou com dúvidas sobre alguma delas? Que tal compartilhar nos comentários?

 

Compartilhar

QUER RECEBER AS ÚLTIMAS NOVIDADES PARA O MERCADO IMOBILIÁRIO? INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here